skip to Main Content

Planejamento Tributário

Não corra o risco de pagar mais impostos do que deve! Conte com o serviço de quem irá realizar um planejamento tributário impecável para você!

Você sabia que pode estar pagando mais impostos do que realmente precisa e perdendo dinheiro por isso?

Infelizmente, essa é a realidade de diversas empresas que foram negligentes em um aspecto essencial: o planejamento tributário.

Todavia, mais do que conhecer os regimes tributários e suas características, é preciso saber como fazer uma análise minuciosa do empreendimento e concluir em qual, de fato, o mesmo melhor se adequa.

Esse trabalho exige a expertise de profissionais com profundo conhecimento contábil, e é isso que nós podemos te oferecer.

Nossa equipe é composta por profissionais da área contábil não só com o conhecimento, mas, também, com a experiência necessária para estudar cada aspecto do seu negócio e enquadrá-lo no regime tributário mais adequado.

Dessa forma, sua empresa não corre o risco de ter problemas financeiros que poderiam ser evitados em decorrência do pagamento de um valor superior ao necessário em relação aos tributos.

Sendo assim, se você quer cumprir com suas obrigações tributárias ao mesmo tempo em que garante um financeiro impecável, basta contar conosco.

Estamos preparados e apenas aguardando o seu contato para começarmos a te auxiliar!

Sócios

Vinícius Duarte Varanda

  • 10 Anos de Experiência em ADM em empresas privadas e entidades sem fins lucrativos
  • MBA em Finanças e Controladoria – GRUPO IBEMEC/METROCAMP/IBTA
  • Responsável pelo departamento Financeiro e estratégia da Jl Ramos

Leonardo Ap. Alves Ramos

  • 15 anos de Experiência nos departamentos contábil e Fiscal
  • MBA Gestão Tributária e Contábil – GRUPO IBEMEC/METROCAMP/IBTA
  • Responsável pelo departamento Fiscal da Jl Ramos

Juliano Alves Ramos

  • 3 anos de Experiência em Empresas de Auditoria
  • 3 anos em empresas Privadas como Controller
  • 20 anos de experiência nos departamentos Contabilidade e Fiscal
  • MBA em Finanças e Controle Gerencial – GRUPO IBEMEC/METROCAMP/IBTA
  • Responsável pelo departamento Contábil e MKT da Jl Ramos

Perguntas Frequentes

Inscreva-se em nosso newsletter Fique por dentro de todas as novidades!

O não pagamento do DAS irá gerar multas e juros conforme Art. 38 da Resolução CGSN nº 94/2011, a responsabilidade é atribuída ao CNPJ da empresa negligente.

Sim, conforme previsto no artigo 20 da Lei 8.036/1990 a conta do FGTS poderá ser movimentada nos casos de aposentadoria pela Previdência Social, inclusive nos casos de aposentadoria por invalidez. Para o saque o segurado deverá comparecer a uma agência da Caixa Econômica Federal munido de seus documentos pessoais, bem como da carta de concessão da aposentadoria.

Sim, de acordo com o artigo 19-A da Lei 8.036/1990, é devido o depósito do FGTS na conta vinculada do trabalhador cujo contrato de trabalho seja declarado nulo nas hipóteses previstas no artigo 37, § 2o, da Constituição Federal, quando mantido o direito ao salário. Na redação do artigo 37, § 2o, da Constituição Federal, trata-se de emprego público. Melhor explicando da contratação para atender excepcional interesse da administração pública pelo sistema celetista.

Destina-se, também, a orientar o atendimento às exigências legais sobre procedimentos contábeis a serem cumpridos pelas pessoas jurídicas de direito privado sem finalidade de lucros, especialmente entidades beneficentes de assistência social (Lei Orgânica da Seguridade Social), para emissão do Certificado de Entidade de Fins Filantrópicos, da competência do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).

São arquivos distintos, entregues separadamente. A ECD deverá ser transmitida, pelas pessoas jurídicas obrigadas a adotá-la, ao Sistema Público de Escrituração Digital (Sped), instituído pelo Decreto n° 6.022, de 22 de janeiro de 2007, e será considerada válida após a confirmação de recebimento do arquivo que a contém e, quando for o caso, após a autenticação pelos órgãos de registro. Ficam obrigadas a adotar a ECD, nos termos do art. 2° do Decreto n° 6.022, de 2007, em relação aos fatos contábeis ocorridos a partir de 1° de janeiro de 2014: I – as pessoas jurídicas sujeitas à tributação do Imposto sobre a Renda com base no lucro real; II – as pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido, que distribuírem, a título de lucros, sem incidência do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF), parcela dos lucros ou dividendos superior ao valor da base de cálculo do Imposto, diminuída de todos os impostos e contribuições a que estiver sujeita; e III – as pessoas jurídicas imunes e isentas. A ECD será transmitida anualmente ao Sped até o último dia útil do mês de junho do ano seguinte ao ano-calendário a que se refira a escrituração.

0
Clientes Satisfeitos
+ 0
Empresas Abertas
0
Colaboradores
0
Clientes Satisfeitos

Newsletter

Inscreva-se em nosso newsletter Fique por dentro de todas as novidades!


Back To Top